Abin foi utilizada para monitorar promotora do caso Marielle, diz PF

25 jan 2024 - Brasil - Mundo

A Polícia Federal (PF) identificou que a promotora responsável pela investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes foi monitorada ilegalmente por agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

A PF deflagrou, nesta quinta-feira (25/1), a operação Vigilância Aproximada, que apura a utilização ilegal de softwares de espionagem para monitorar autoridades.

“Em outra oportunidade, novamente, ficou patente a instrumentalização da Abin para monitoramento da promotora de Justiça do Rio de Janeiro e coordenadora da força-tarefa sobre os homicídios qualificados perpetrados em desfavor da vereadora Marielle Franco e o motorista que lhe acompanhava Anderson Gomes”, explica o documento.

“Em outra oportunidade, novamente, ficou patente a instrumentalização da Abin para monitoramento da promotora de Justiça do Rio de Janeiro e coordenadora da força-tarefa sobre os homicídios qualificados perpetrados em desfavor da vereadora Marielle Franco e o motorista que lhe acompanhava Anderson Gomes”, explica o documento.

 

Maistvdenois

 

Fonte: Metrópoles.