Jéssica Vitória: família pede responsabilização de perfis após fake

28 dez 2023 - Variedades

O advogado Ezequiel Souza, que representa a família de Jéssica Vitória Canedo, se manifestou sobre a morte da jovem de 22 anos no último dia 22. Em nota, o profissional disse que vai buscar responsabilizar os perfis de notícias nas redes sociais pela disseminação da fake news envolvendo a moça e Whindersson Nunes.

Jéssica Vitória morreu após ser atacada na web, depois que páginas divulgaram supostas conversas entre o humorista e ela. Os dois chegaram a se pronunciar afirmando que o conteúdo era falso, mas mesmo assim, os prints continuaram circulando. O falecimento ocorreu devido à ingestão de alta dosagem de medicamentos.

“Vivemos numa era em que a informação se tornou amplamente acessível, especialmente por meio das redes sociais. Nunca antes na história da humanidade a disseminação de informações foi tão rápida e significativa para a sociedade. No entanto, diante da prematura partida de Jéssica, não podemos ignorar os riscos associados à propagação de informações falsas, desconexas e inverídicas, que têm prejudicado cotidianamente a vida de inúmeras pessoas e afetado a sociedade como um todo”, iniciou o texto.

E continuou: “Embora o direito à liberdade de expressão esteja consagrado na Constituição Federal, sua prática deve observar os demais direitos previstos na Carta Magna, sobretudo o princípio da dignidade da pessoa humana. Torna-se, portanto, imperativo responsabilizar aqueles que ocupam posições de comunicadores em redes sociais pelos impactos de suas ações na vida alheia, assim como determina nosso ordenamento jurídico”, escreveu.

“Assim, buscaremos e confiamos na Justiça para que todos os envolvidos na disseminação de notícias falsas que possam ter contribuído para o falecimento de Jéssica sejam responsabilizados conforme a lei”, pontuou.

Polícia ouve primeira testemunha sobre morte de Jéssica Vitória

A Polícia Civil de Araguari, em Minas Gerais, ouviu nesta terça-feira (26/12) o primeiro depoimento nas investigações que apuram as circunstâncias da morte de Jéssica Vitória Canedo, de 22 anos. A primeira depoente foi Inês Oliveira, a mãe da jovem.

Após ouvir a mãe de Jéssica, a Polícia Civil vai avaliar se outras pessoas também deverão prestar depoimento. Segundo o delegado Felipe Oliveira, que comanda o inquérito sobre o caso, em um primeiro momento apenas as circunstância da morte da estudante serão apuradas.