Brasil reforça apoio a “uma só China” em meio a tensões com Taiwan

19 jan 2024 - Brasil - Mundo

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Viera, reforçou nesta sexta-feira (19/1) a posição do Brasil em defesa de “uma só China”, após reunião com o chanceler chinês, Wag Yi, no Itamaraty. Apesar de não ser novo, o posicionamento agrada o governo do país asiático em um momento de aumento das tensões com Taiwan, considerada pelos chineses uma espécie de província rebelde e que acaba de eleger um governo crítico a Pequim.

“Reitero o apoio histórico, consistente e inequívoco do Brasil ao princípio de uma só China, conforme declaração adotada pelos dois presidentes (Lula e o chinês Xi Jinping)”, disse Vieira.

No último final de semana, o candidato do Partido Democrático Progressista (DPP), Lai Ching-te, ganhou as eleições presidenciais da ilha dissidente de Taiwan. O político defende a autonomia da região em relação à China e reforçou que estreitará as relações com Estados Unidos e Japão.

O chanceler chinês, que tem reunião marcada com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), falou também que as relações entre Brasil e China devem alcançar novos patamares e afirmou que países devem “caminhar de mãos dadas”.

“Todas as instituições do Brasil têm uma posição voltada a uma só China. A parte chinesa tem apreço por isso”, afirmou Weng.

O chanceler chegou a Brasília na noite dessa quinta-feira (18/1) e se encontrou com o minitro Mauro Viera logo pela manhã. Outras pautas debatidas além das relações bilaterais, foram a guerra entre Rússia e Ucrânia e o conflito no Oriente Médio, em especial entre Israel e o grupo extremista islâmico Hamas.

Wang ainda confirmou a presença do presidente do Partido Comunista Chinês, Xi Jinping, ao Brasil em novembro desse ano, a fim de participar da reunião de líderes do G20, formada pelas maiores economias do mundo, que será sediada no Rio.

 

Maistvdenois

 

Fonte: Metrópoles.