Ceará é o quarto estado do Nordeste com mais focos de queimadas em 2022, diz INPE

12 set 2022 - Nordeste

O Ceará é o quarto estado do Nordeste que mais registrou focos de queimadas em 2022, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). De acordo com o INPE, o estado registrou 311 focos de queimadas entre janeiro e início de setembro.

Incêndio às margens da rodovia BR-222 em Sobral, no Ceará. — Foto: Mateus Ferreira/Sistema Verdes Mares

Em primeiro lugar aparece o Maranhão com 9.197 focos, seguido pelo Piauí (3.613 focos) e Bahia (3.516).

Ao se comparar a quantidade de focos com mesmo período do ano passado percebe-se uma diminuição de 56%. Em 2021 foram registrados 722 enquanto neste ano apenas 311. O valor computado pelo INPE mostra que é a menor quantidade de focos registrados desde 2017 quando foram anotados 328.

Neste sábado, o Ceará apresenta sete focos de incêndio. Quatro registrados em Sobral, na Região Norte e outros três no município de Canindé, Sertão Central.

Condições favoráveis aos incêndios

De acordo com o Corpo de Bombeiros é comum o aumento no número de incêndios no segundo semestre do ano, já que as chuvas diminuem e os ventos contribuem para a propagação dos focos.

Como as queimadas são combatidas?

Existem formas de evitar que o fogo se espalhe sem controle, além das políticas de fiscalização dos órgãos ambientais, missão ligada principalmente ao Ibama. Existem pelo menos três técnicas para incêndios legais:

Aceiros: abrir espaços sem vegetação ao redor da área a ser queimada. Uma estrada, por exemplo, impede que o fogo se alastre além dos limites;

Contrafogo: colocar fogo em uma outra área, para desviar o direcionamento do incêndio. Além disso, é possível botar o fogo em direção contrária ao vento, por exemplo;

Brigadistas: estruturas do Corpo de Bombeiros e de comunidades locais nas quais brigadistas são treinados para combater o fogo.

G1 CE