Em dia de luto coletivo e comoção, moradores de Aliança se despedem de vítimas de desabamento de marquise

13 set 2022 - Nordeste

Em um dia marcado por luto coletivo e comoção, três das quatro pessoas que morreram no desabamento da marquise, no Centro de Aliança, na Zona da Mata Norte de Pernambuco , foram veladas e enterradas nesta segunda (12). Em uma das cerimônias, parentes e amigos se despediram de tia e sobrinha, durante velório e cortejo realizados de forma simultânea.

A marquise desabou durante os festejos de 94 anos de emancipação da cidade. Imagens mostram a rua cheia de moradores, que acompanhavam um desfile cívico, na noite de domingo (11) (veja vídeo abaixo). Por causa das mortes, o evento foi cancelado pela prefeitura.

Na tarde desta segunda, a prefeitura informou que a queda da marquise deixou quatro mortos e não cinco, como tinha divulgado anteriormente.

Inicialmente, foi informado que Tiago Batista, de 26 anos, teria morrido. Um comunicado feito pelo prefeito Xisto Freitas apontou, no entanto, que ele está internado no Hospital da Restauração (HR), no Recife, passou por cirurgia em tem estado considerado grave.

Nesta segunda, foram velados e sepultados os corpos de uma mulher e duas adolescentes: Marli Vitorina Alves de Barros, de 47 anos, e a sobrinha dela Beatriz Alves, de 16 anos; além de Conceição Carla, de 15 anos.

A quarta vítima, Corina Pessoa Fernandes, de 77 anos, será velada e enterrada na terça (13), em Aliança.

Ao menos 12 pessoas ficaram feridas. Onze delas estão internadas em hospitais e uma teve alta, segundo informações atualizadas pela prefeitura.

A Igreja Batista ficou lotada para as homenagens a Marli e Beatriz. Depois do velório, aconteceu um cortejo para o cemitério municipal.

O velório começou às 16h desta segunda. Mais cedo, parentes e amigos das duas vítimas já estavam na frente da igreja. Toldos e cadeiras foram colocados do lado de fora do templo.

Segundo o empreendedor social Carlos Alberto, 58, as primas estavam com outros parentes no local quando a marquise desabou. Marli foi levada para o Hospital da Restauração, mas não resistiu aos ferimentos.

Jovens com uniformes escolares e professores foram se despedir de Beatriz. “Era uma menina, amorosa, atenciosa e participativa. Uma aluna exemplar”, afirmou Luiza Mota, diretora da escola onde a vítima estudava.

Providências

Por meio de nota, a prefeitura disse que a causa do acidente está sendo apurada e que a primeira providência tomada pelo Executivo municipal foi isolar o local.

O gestão expressou “consternação, dor e luto” pelas mortes na “lamentável tragédia”. “O poder público se solidariza com todas as vítimas e seus familiares e amigos, e se coloca à inteira disposição”, disse, no comunicado.

O coordenador da Defesa Civil de Aliança, Armando Freitas, disse que o imóvel onde ficava a marquise está interditado. Segundo ele, a lei diz que é responsabilidade do proprietário prezar pelo bom estado do prédio.

A Polícia Civil informou, por nota, que as investigações foram iniciadas e seguem “até o esclarecimento total do caso”.