Galerista assassinado deixou US$ 1 milhão para ex em novo testamento

16 fev 2024 - Brasil - Mundo

O galerista norte-americano Brent Fay Sikkema, assassinado em 14 de janeiro dentro de casa, no Rio de Janeiro, deixou US$ 1 milhão (quase R$ 5 milhões) para um ex-companheiro em um novo testamento, modificado em maio de 2022.

De acordo com o jornal O Globo, o beneficiário seria um parceiro de um relacionamento anterior ao casamento com o cubano Daniel Garcia Carrera, principal suspeito de encomendar a morte do galerista.

Antes da alteração em maio de 2022, Carrera era o maior beneficiário da herança da vítima. À época, o casal passava pelo processo de divórcio, e Sikkema retirou o ex-marido do testamento.

Os investigadores acreditam que Carrera não tinha conhecimento de tal alteração no documento. Por isso, ele imaginava que seria beneficiado de “várias formas” com a herança do ex-marido.

“Além disso, ele tentava esconder dois imóveis para não entrarem no litígio de divisão de bens do divórcio. Brent tentava provar que ele havia comprado os imóveis e que Daniel teria colocado em nome de parentes, enquanto Daniel queria que isso ficasse escondido”, disse o delegado Rômulo Caldas.

No testamento, o norte-americano ainda expressou o desejo de ter as cinzas espalhadas pelo Jardim Botânico, na zona sul da capital fluminense, ou em Playa Del Este, em Havana, na Cuba.

O assassinato do galerista
A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ), informou que Brent Fay Sikkema morreu após ser esfaqueado 18 vezes no tórax e no rosto.

O autor do crime seria o cubano Alejandro Triana Tevez, que teria agido a mando de Daniel Garcia Carrera, ex-marido do galerista.

Tevez confessou o crime à polícia e disse que receberia US$ 200 mil, cerca de R$ 1 milhão, para matar Sikkema com uma besta, arma similar a um arco de flechas adaptado com um gatilho para projetar dardos, chamados de virotes.

 

Maistvdenois

 

Fonte: Metrópoles.