Policial se revolta com a presença da PM e mata ex-companheira e ex-cunhada, em João Pessoa

3 jun 2024 - Nordeste

Um policial penal foi preso na tarde desse domingo (2), suspeito de matar a ex-companheira e a ex-cunhada, no bairro João Paulo II, Zona Sul de João Pessoa. Segundo familiares, o casal estava em uma crise conjugal e brigavam constantemente.

De acordo com o delegado Diego Garcia, o suspeito teria chegado na casa das vítimas e quebrado alguns objetos. A sua ex-mulher estava tentando acalmá-lo, e aparentemente teria conseguido. No entanto, por volta das 15h, uma equipe da Polícia Militar foi acionada pela ex-cunhada para atender uma ocorrência de violência doméstica.

Ao chegar na residência onde se encontrava o suspeito e as duas vítimas, identificadas como Mara Lúcia Dias, de 60 anos, e Maria do Socorro Dias, de 64 anos, o homem, que já estava armado, teria se incomodado com a presença dos policiais e começado a disparar.

Com raiva, o policial, identificado como Osmany Morais, de 60 anos, atirou na ex-companheira e na irmã dela. As duas morreram no local do crime. Quando ele se preparava para também atirar na equipe policial, que se protegeu se escondendo nas viaturas, o genro apareceu e deu uma paulada na cabeça dele.

Devido à força do golpe, o homem desmaiou. Foi neste momento que a polícia conseguiu contê-lo. Por conta do ferimento, ele foi encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa e depois levado para a Central de Polícia.

Conforme informações apuradas pela TV Correio, Osmany era um policial penal da ativa e trabalhava no sistema penitenciário Silvio Porto, em João Pessoa. A Secretaria de Administração Penitenciária emitiu uma nota a respeito do caso e informou que tinha conhecimento sobre o ocorrido. Além das medidas judiciais que estão sendo tomadas, a instituição vai abrir um procedimento administrativo.

Os corpos das vítimas foram levados para o Instituto de Polícia Científica (IPC) e devem ser liberados por volta das 10h. A pistola, que era de porte funcional que o suspeito detinha em função de ser policial penal, foi apreendida. Durante uma busca na casa do suspeito, também foi encontrada uma arma de calibre 38 que está apreendida nos autos.